():

Blog Projetar

Entendendo a planta baixa

Entendendo a planta baixa

Uma planta baixa é um desenho em escala que mostra a relação entre salas, espaços e características físicas vistas de cima. Eles fornecem uma maneira de visualizar como as pessoas se moverão pelo espaço. As plantas baixas facilitam a verificação do espaço para o propósito, abordam possíveis desafios e reprojetam antes de passar para fases de planejamento ou construção mais detalhadas. Também pode ser divertido experimentar diferentes opções de design e fluxo de tráfego que mostram como as pessoas se movem pelo espaço.

Criar espaço não significa automaticamente construir edifícios. O mesmo espaço pode criar obras-primas ou criar desastres.” É por isso que, a partir de pequenas caixas que permitem que até os participantes realizem reuniões sem problemas, as plantas baixas são o lugar para começar a criar e organizar espaços lógicos de acordo com os requisitos do usuário final.

Plantas e edifícios

A planta apresenta uma vista panorâmica dos espaços de estar, de trabalho e ao ar livre. Embora devam ser desenhadas em escala, as plantas baixas não contêm informações suficientes para que um construtor realmente construa uma casa ou outra estrutura. Em contraste, uma planta baixa é essencialmente um diagrama simples que mostra o layout de uma sala e fornece um ponto de partida conceitual. Os construtores precisam de plantas completas ou desenhos prontos para construir que incluam informações técnicas que você não encontrará na maioria das plantas.

Planejamento espacial e circulação em ambientes novos e existentes

O planejamento do espaço é importante em novas estruturas, mas também é importante repensar os espaços existentes para determinar como usá-los de maneira mais eficaz. O planejamento de espaços tornou-se um serviço independente de escritórios de arquitetura por vários motivos: altos interiores de escritórios inacabados, rápido crescimento organizacional devido a mudanças tecnológicas, downsizing e reestruturação.

Circulação e fluxo de tráfego

Em qualquer espaço onde as pessoas vivam, trabalhem, façam compras ou se reúnam, a disposição dos cômodos e o fluxo de um espaço para outro afeta o sentido e a utilidade do ambiente. Uma boa circulação e fluxo de tráfego depende do espaço planejado – por exemplo, em um espaço de varejo, você pode orientar como os visitantes se movimentam pelo espaço, enquanto em uma galeria de arte, você pode reduzir as restrições de tráfego para evitar engarrafamentos. Dependendo de como a superfície é dividida, um espaço interior do mesmo tamanho pode parecer muito diferente devido às linhas de visão (linha de visão é a linha de visão teórica do observador para o objeto ou área que está sendo observada). Em geral, quanto menos obstruções visuais houver em um espaço, maior ele parecerá.

Fluxo e Feng Shui

O conceito de fluxo não se aplica apenas ao movimento físico das pessoas pelo espaço. O Feng Shui, ou a arte e a ciência de criar um ambiente harmonioso, é usado há mais de 5.000 anos para organizar espaços privados e públicos. Hoje, os praticantes de Feng Shui em todo o mundo usam plantas para projetar novas estruturas ou reorganizar ambientes existentes para se adequar às regras estritas da prática antiga. Por exemplo, o mais novo parque temático da Disney em Xangai foi construído em consulta com os mestres do Feng Shui.

 

Gostou do Conteúdo Compartilhe!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Abrir bate-papo
Posso Ajudar?
Olá, de qual informação de projeto você precisa?